Fertilização In Vitro

A fertilização In Vitro convencional refere-se ao procedimento onde um ou mais oócitos (óvulos) são aspirados dos folículos ovarianos, e colocados em um incubadora (que simula o ambiente da trompa) juntamente com espermatozóides previamente processados. Os oócitos são fertilizados espontaneamente por um destes espermatozóides e então um ou mais dos pré-embriões assim obtidos são transferidos para a cavidade uterina.

São indicações de FIV convencional:

  • Ausência ou obstrução tubária bilateral
  • Endometriose Severa
  • Fator masculino moderado a grave
  • > 4 anos Infertilidade Sem Causa Aparente
  • Falência ovariana (programa de ovodoação )
  • Insucesso em 3 ciclos de indução de ovulação + coito programado e/ou IIU
  • Ligadura Tubárea ou vasectomia há mais de 5 anos ou em ♀> 35 anos

A ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoide) é a técnica de reprodução assistida em que um espermatozóide capacitado é micro-injetado no interior de cada óvulo obtido.

São indicações de ICSI:

a) Fator masculino alterado

  • Oligoastenospermia
  • Azoospermia obstrutiva
  • Teratospermia
  • Falhas na fertilização clássica

Estes procedimentos consistem nas diversas etapas a seguir:

b) Ausência ou baixo índice de fertilização na FIV convencional

  • Indução da ovulação
  • Aspiração folicular
  • Identificação e classificação ovocitária
  • Preparação e capacitação espermática
  • Fertilização In Vitro ou Microinjeção dos espermatozóides
  • Avaliação embrionária
  • Transferência embrionária