Teste ERA (Biopsia Endometrial)

ERA-implantation-failure-endometrial-receptivity-test

Teste de receptividade do endométrio para casos de Falhas de Implantação

1. Apresentação; O que é?

É um método diagnóstico inovador, desenvolvido e patenteado* pelo departamento de P&D da IGENOMIX com mais de 10 anos de pesquisa. Esta técnica permite verificar, do ponto de vista molecular, o status de receptividade endometrial da mulher.

ERA indica a janela de implantação (WOI), aumentando suas chances de transferência bem-sucedida A receptividade endometrial é o estado no qual o endometrio se encontra quando está preparado para que ocorra a implantação embrionária. Isto ocorre em todos os ciclos menstruais de uma mulher fértil por volta do dia 19-21. Atualmente, o único estudo realizado no endométrio é o ultrassom, por tanto, não existe um outro método de análise que auxilie o médico na análise clínica.
Dentro do estudo de um casal infértil, a análise ERA, do inglês (Endometrial Receptivity Analysis), consiste em avaliar do ponto de vista molecular o status de receptividade endometrial da mulher como uma analise importante do fator uterino. Esta ferramenta molecular nos permite diagnosticar a existência de um endométrio receptivo ou não mediante a análise da expressão de um grupo de genes responsáveis por essa função. Para isso deve-se realizar uma biopsia endometrial no dia LH+7 (ciclo natural) ou P+5 (ciclo com preparo endometrial).

É analisada a expressão de 238 genes envolvidos na receptividade endometrial. Um software próprio analisa todos os dados obtidos, classificando o endométrio como receptivo ou não receptivo.

Mais Informação:

Era é um teste genético personalizado para o diagnóstico do estado de receptividade endometrial na janela de implantação feminina.

Essa ferramenta diagnóstica molecular permite analisar os níveis de expressão de 238 genes relacionados com o status de receptividade endometrial. Em um microarray personalizado com sondas para estes 238 genes hibridiza-se uma amostra de RNA obtido do tecido endometrial. Depois da hibridização, as intensidades dos sinais são lidas e analisadas por um software especifico que classifica as amostras em função de seu perfil de expressão como Receptivas ou Não Receptivas. A Análise de Receptividade Endometrial (ERA) foi criada, desenvolvida e patenteada por IGENOMIX (PCT/ES2009/000386).

2. Objetivo. Para que serve?

O teste ERA serve para avaliar o estado do endometrio e determinar se apresenta um perfil génico de receptividade ou não no momento da realização da biopsia.

A análise permite determinar a janela de implantação personalizada e estabelecer, em função do resultado, uma transferência de embriões personalizada (pET)

Os resultados encontrados determinam se a mulher é ou não receptiva no momento da realização da biopsia. Se é receptiva, significa que sua janela de implantação está localizada no dia da realização da biopsia, e o embrião poderá ser implantado no útero neste período.
Um estado de não receptividade significa uma janela de implantação alterada. Deve-se proceder com um procedimento de acordo com o software, que lhe dá uma estimativa da sua janela de implantação personalizada. Isso permite que a implantação do embrião com êxito em um ciclo posterior o que denominamos de Transferência Embrionária personalizada (pET)

3. Indicação. Para quem e por que?

O ERA foi testado em pacientes que tiveram falha de implantação com embriões de qualidade morfológica boa (pelo menos 3 transferências de embriões com falha em mulheres jovens ou dois pacientes com 37 anos ou mais). Este teste é indicado para pacientes com útero aparentemente normal e espessura endometrial normal (26 mm), nos quais isso não parece o problema.

Em cerca de 20% destes pacientes é detectado uma janela de implantação deslocada.

A análise permite a determinação a janela de implantação personalizada e ajustada de acordo com o resultado para uma transferência de embriões (PET). O teste ERA deve ser prescrito por um médico e o resultado será enviado exclusivamente para o mesmo, ele nunca será enviado para o paciente. O médico que prescreve o teste será responsável por enviar o relatório ao paciente.

4. Vantagens. Quais vantagens possui sobre os outros testes?

Esse é o método diagnóstico da receptividade endometrial. Antes de começar um tratamento de reprodução assistida, o ERA permite detectar a janela de implantação personalizada da paciente, importante para que se utilize medidas corretoras para que a transferência embrionária seja feita no momento adequado e que o tratamento da infertilidade tenha êxito.

O teste ERA demonstra uma alta sensibilidade e especificidade na detecção de perfis de expressão gênica associados à receptividade.

O método clássico de análise do estado do endométrio se baseia em critérios histológicos. Esse método demonstrou que não discrimina entre pacientes férteis e inférteis e possui um algo grau de subjetividade, resultando em uma aplicação clínica nula.

5. FAQ’s

1. Em quais tipos de ciclo se pode realizar o teste ERA?

O teste ERA deve ser realizado no ciclo natural ou ciclo com preparo endometrial. O diagnóstico de receptividade é válido para o tipo de ciclo que se realizou o teste, assim a transferência de embriões deve ser realizada no mesmo tipo de ciclo (e janela de implantação no caso de personalização) no qual se obteve um diagnóstico de Receptivo.

2. Qual o método de medição de ovulação em ciclo natural?

Em ciclos naturais pode-se medir o momento da ovulação com tiras reativas de LH na urina, medição direta de LH no soro sanguíneo ou seguimento da ruptura do folículo por ultrassom.

3. Qual é a estratégia de aplicação do teste ERA?

Tomar a biopsia de endométrio em ciclo natural ou com preparo endometrial para a realização do teste ERA

Resultado “Receptivo”
Se a paciente tiver congelado óvulos ou embriões, ou possui óvulos frescos ou embriões frescos de doadores de óvulos: Transferir no mesmo tipo de ciclo (natural ou preparo endometrial) em que o teste foi realizado com resultado receptivo.
Se o paciente NÃO tem óvulos ou embriões congelados próprios e deseja utilizar seus próprios óvulos: Deve-se realizar um ciclo de estimulação ovariana para criopreservação de óvulos ou de embriões. Em um ciclo posterior transferir embriões no mesmo tipo de ciclo (natural ou preparo endometrial) em que o teste foi realizado com resultado receptivo.

Resultado “Não-Receptivo” com recomendação de nova janela de implantação (W01)
Se o resultado do primeiro teste ERA foi considerado Não-receptivo e a análise do perfil de expressão sugere que a janela de implantação pode estar deslocada, é necessário validar a nova W01 com um segundo teste ERA.
No caso de uma nova W01 deslocada e validada com o segundo ERA, a descongelação de óvulos ou embriões e sua transferência deve ser programada para que coincida com o dia da nova W01 da mulher, em LH+9, Ov+8 ou P+7/P+8

Resultado “Não-Receptivo” sem recomendação de janela de implantação
Se o resultado do primeiro teste ERA foi Não-Receptivo, a probabilidade associada a esse diagnóstico é baixa e a análise do perfil de expressão não sugere uma janela de implantação deslocada, e não podemos oferecer uma solução terapêutica.

4. Como deve-se realizar a biopsia de endométrio?

Deve-se realizar a biopsia de fundo uterino em um procedimento habitual com uma cânula Pipelle catheter ou similar. Por volta de 30 miligramas de tecidos são suficientes. Por exemplo, isso equivale a um cubo de 3 milímetros de lado.

5. Como calcular o dia da biopsia endometrial?

Ciclo Natural
Se determinado pela urina ou pelo soro, o dia do pico de LH é denominado como LH+0. Deve-se contar 7 dias até o dia LH+7(aproximadamente 168 horas) para a realização da biopsia.
Se determinado pelo ultrassom, o dia da ovulação é denominado como Ov+0 Deve-se contar 6 dias até o dia Ov+6 (aproximadamente 144 horas) para a realização da biópsia.

Ciclo Preparo Endometrial
Uma vez iniciado o ciclo com preparo endometrial, deve-se contar cinco dias completos de utilização da progesterona (aproximadamente 120 horas) para a realização da biopsia. Se o dia que iniciou-se o tratamento com a Progesterona denomina-se como P+0, a biopsia deve ser realizada no dia P+5. Se o dia de inicio é denominado P+1, o dia da biopsia será P+6.

6. Como se calcula o dia da biopsia com uma recomendação de nova janela de implantação (W01) depois de um resultado Não-receptivo?

Ciclo Natural
Se determinado pela urina ou pelo soro, o dia do pico de LH é denominado como LH+0. Deve-se contar 2 dia mais (48 horas) do que o previsto, até LH+9, para a realização da biopsia.
Se determinado pelo ultrassom, o dia da ovulação é denominado como Ov+0 Deve-se contar 2 dia mais (48 horas) do que o previsto, até Ov+8, para a realização da biopsia.

Ciclo Preparo Endometrial
Uma vez iniciado o ciclo com preparo endometrial, deve-se contar dois dias a mais do dia da biopsia anterior, ou seja , sete días completos de utilização da progesterona para a realização da biopsia. Se o dia que iniciou-se o tratamento com a Progesterona denomina-se como P+0, a biopsia deve ser realizada no dia P+7. Se o dia de inicio é denominado P+1, o dia da biopsia será P+8.